Saúde

Oito dúvidas acerca do câncer de pâncreas

Especialista fala sobre prevenção, sintomas e formas de tratamento

 

O câncer de pâncreas, o quarto maior em número de casos entre os brasileiros, ainda é um assunto que boa parte da população não conhece. Com sintomas pouco expressivos e diagnóstico tardio, a doença costuma passar despercebida até que atinja a fase avançada, o que dificulta – e muito – o tratamento adequado. Para esclarecer melhor as principais características desse tipo de câncer, o dr. Eduardo Fernandes, especialista em cirurgias hepáticas do Hospital São Lucas Copacabana, responde às oito dúvidas mais comuns.

O que causa o câncer de pâncreas?

Dr. Eduardo Fernandes: O consumo excessivo de açúcares, comidas gordurosas, embutidos, alimentos processados e ultraprocessados e com muito sódio é um dos principais fatores que influenciam no desenvolvimento do câncer de pâncreas, assim como o tabagismo.

Quais são os tipos?

Dr. Eduardo Fernandes: Os tumores são divididos em duas categorias: exócrino e endócrino. Os tumores exócrinos são os mais comuns e representam por volta de 95% dos casos – principalmente o adenocarcinoma de pâncreas. Já os tumores endócrinos são bem mais raros, sendo responsáveis por apenas 5% dos casos.

Quais são os principais sintomas?

Dr. Eduardo Fernandes: Os sintomas mais frequentes nos tumores na cabeça do pâncreas é a icterícia, ou seja, um tom amarelado na pele e nos olhos, além de urina escura e fezes brancas. Os tumores que aparecem no corpo e na cauda do pâncreas geralmente causam dor abdominal irradiada para a região lombar, emagrecimento e cansaço.

Quem está no grupo de risco da doença?

Dr. Eduardo Fernandes: O câncer de pâncreas geralmente se desenvolve na terceira idade e tem como uma das principais causas o tabagismo, presente em mais de 50% dos adenocarcinomas. Porém, apesar de raros, os casos em pacientes jovens existem e costumam ser causados por doenças hereditárias.

Como é possível detectar o câncer de pâncreas?

Dr. Eduardo Fernandes: Ao apresentar os sintomas mais comuns, o paciente será acompanhado por um médico, que, ao detectar qualquer anomalia, principalmente acúmulo de líquido ou massa estranha na região do abdômen, poderá pedir exames de imagem para rastreio de possíveis tumores. Uma vez encontrados, eles serão submetidos a uma biópsia para verificar se são benignos ou malignos e, dependendo do resultado, haverá a confirmação do câncer.

O dr. Eduardo Fernandes fala mais sobre a doença em um vídeo especial sobre câncer de pâncreas (https://bit.ly/2J8Qabn), no canal do Hospital São Lucas Copacabana no YouTube.

Existe cura para a doença? Quais são as formas de tratamento?

Dr. Eduardo Fernandes: O tratamento padrão para o câncer de pâncreas é a cirurgia para a retirada do tumor. Hoje em dia, novos esquemas de quimioterapia foram englobados no tratamento moderno da doença e, além disso, em várias situações, utilizamos a quimioterapia, com três ou quatro ciclos antes da cirurgia e quatro ou seis ciclos após a cirurgia. A radioterapia tem indicação em casos selecionados.

A cirurgia radical para o câncer de pâncreas teve grande desenvolvimento, e atualmente fazemos a remoção de tumores que antes eram irressecáveis, especialmente ressecções de vasos ao redor do órgão.

Como prevenir?

Dr. Eduardo Fernandes: O segredo para manter a saúde do pâncreas é apostar em um estilo de vida saudável, com a prática de exercícios físicos ao menos três vezes na semana, priorização de uma alimentação balanceada na maior parte do tempo e consumo moderado de bebidas alcoólicas, além de manter distância do cigarro.

O transplante de pâncreas é uma opção?

Dr. Eduardo Fernandes: O transplante de pâncreas não é realizado em pacientes com câncer de pâncreas.

Sobre o autor

Dr. Eduardo Fernandes

Dr. Eduardo Fernandes

Hepatologista no Hospital São Lucas Copacabana
Eduardo Fernandes é mestre em cirurgia geral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) certificado em Transplante de Órgão Abdominal pela University of Nebraska (USA) e em Transplante e Cirurgia de Fígado pelo Chang Gang Memorial Hospital (China). Fundou a unidade brasileira da International Hepato-Pancreato Biliary Association (IHPBA) e é membro associado à International Liver Transplantation Society (Sociedade de Transplante de Fígado).

2 Comentários

Deixe um comentário