Eventos Médicos

O panorama da cirurgia robótica no Brasil e no mundo

Evento internacional sobre cirurgia robótica do Hospital São Lucas reuniu especialistas no Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Confira como foi o evento internacional sobre cirurgia robótica do Hospital São Lucas

As vantagens da cirurgia robótica para o paciente foram um dos muitos assuntos tratados no evento de cirurgia robótica do Hospital São Lucas e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), que reuniu especialistas, no dia 16 de setembro, no Centro de Convenções do CBC, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro. Entre os palestrantes estavam dois médicos reconhecidos internacionalmente na área: o Dr. Matthew Walsh, do Departamento de Cirurgia da Cleveland Clinic, Ohio, EUA, e o Dr. Carlos Vaz, coordenador do Centro de Cirurgia Robótica e Minimamente Invasiva do Hospital da Luz, em Lisboa, Portugal, além dos convidados nacionais, como o Dr. Carlos Domene e a Dra. Paula Volpe, autoridades do assunto no país.

Durante o evento, duas cirurgias robóticas foram transmitidas ao vivo direto do centro cirúrgico do Hospital São Lucas. Dessa forma, os participantes puderam interagir da plateia e tirar dúvidas com os cirurgiões de forma prática e em tempo real no decorrer do procedimento. Ao longo do dia, os médicos também debateram a finalidade e os benefícios da nova tecnologia, tanto em um futuro próximo quanto aplicada às cirurgias que normalmente já apresentavam desafios para os cirurgiões, como a laparoscopia. Os especialistas internacionais também traçaram um panorama do uso da robótica nos Estados Unidos e na Europa.

“O maior desafio de aplicar a tecnologia nos hospitais não é a robótica em si, mas, sim, treinar os especialistas e cirurgiões para usá-la da maneira mais eficaz e proveitosa, tanto para o paciente quanto para o próprio hospital”, afirmou o Dr. Matthew Walsh. Segundo o médico, outro obstáculo entre os cirurgiões americanos é justificar o uso da robótica diante de seu alto custo, fazendo com que a seleção de pacientes seja bastante criteriosa.

O Dr. Carlos Vaz e o Dr. Matthew Walsh apresentaram um panorama da cirurgia robótica nos EUA e na Europa.

A excelência no treinamento de médicos, enfermeiros e assistentes para o uso da tecnologia foi defendida pelos especialistas como um dos pontos mais importantes da implementação da cirurgia robótica no país. Segundo o cirurgião Dr. Carlos Domene, para que o treinamento seja eficaz, é muito importante que o médico veja o máximo possível de cirurgias robóticas sendo feitas, para que ele possa compreender os movimentos e as técnicas necessárias para a boa execução do procedimento. Outro benefício do uso da cirurgia robótica foi apontado pelo Dr. Carlos Vaz, que reforçou que, em pacientes obesos e superobesos, a tecnologia oferece mais precisão com menor tempo de procedimento, transformando uma cirurgia normalmente mais complicada e demorada em algo mais simples e seguro.

O cirurgião Carlos Domene destacou: “Com a cirurgia robótica, o médico é capaz de fazer o que precisa, e não o que pode.”

“Aperfeiçoar a precisão cirúrgica é um dos benefícios alcançados pela robótica e que pode melhorar os resultados para o paciente durante uma cirurgia. Além disso, a tecnologia causa menos trauma ao tecido, diminuindo a resposta inflamatória da cirurgia e fazendo com que a recuperação pós-operatória seja mais rápida”, explicou a Dra. Paula Volpe, cirurgiã que apresentou três palestras durante o evento.

O robô fixa os movimentos, conferindo mais delicadeza e destreza, com mais precisão. O robô veio pra ficar!

 

Cirurgia robótica coloca o São Lucas no patamar de um dos hospitais mais tecnológicos do Rio de Janeiro

O São Lucas inaugurou, em março deste ano, o Serviço de Cirurgia Robótica com o sistema do modelo da Vinci SI (que contém pinça selante robótica e o sistema FireFly Fluorescence Imaging), o mais moderno do país, que ampliou o acesso à cirurgia minimamente invasiva. Em quatro meses, o hospital ultrapassou a marca de cem cirurgias robóticas realizadas – a maior parte delas urológicas, seguidas por cirurgias do aparelho digestivo – e hoje é a instituição com o maior volume mensal no estado.

“O São Lucas tem um compromisso com a prática de uma medicina de qualidade e segurança assistencial”, enfatizou o diretor executivo do hospital, Lincoln Bittencourt.

Os bons resultados obtidos com o uso dos robôs reafirmam o método como definitivo no futuro da medicina. “Nossos resultados estão em conformidade com outros serviços de cirurgia robótica do mundo, que elegem a robótica como uma técnica inovadora e que veio para ficar, pois apresenta muitos benefícios para o paciente, como menor sangramento e tempo cirúrgico e uma resposta inflamatória menor, além de ampliar as habilidades do cirurgião de videolaparoscopia”, explica Fernando de Barros, coordenador do Serviço de Cirurgia Robótica do São Lucas, que complementa dizendo que o sucesso das cirurgias se deve aos esforços de uma equipe multidisciplinar altamente capacitada.