Últimos Releases

São Lucas Copacabana realiza 10ª Jornada Internacional de Trauma

A agilidade no atendimento e as formas de resgate em áreas de desastre foram alguns dos assuntos da 10ª Jornada Internacional de Trauma do Hospital São Lucas Copacabana. Realizado na última sexta-feira, 20, no auditório do Jula Park, em Copacabana, o evento contou com a participação de vários profissionais da área, incluindo Will Chapleau, presidente do Comitê de Suporte à Vida em Trauma Pré-Hospitalar (PHTLS), nos Estados Unidos.

10ª Jornada Internacional de Trauma do Hospital São Lucas Copacabana
Will Chapleau fala sobre a importância da agilidade no atendimento ao paciente traumatizado

Em sua primeira palestra, que abriu o evento, Chapleau discutiu sobre as diferenças entre o Suporte Básico à Vida (SBV) e Suporte Avançado à Vida (SAV), ambos feitos na fase pré-hospitalar. Neste momento, o fator mais importante é a agilidade: quanto mais rápido o paciente receber ajuda especializada a caminho do hospital, maiores são as suas chances de sucesso durante o tratamento. Após o almoço, o especialista retornou para falar sobre cuidados específicos com pacientes vítimas de lesões na medula espinhal.

A prevenção de trauma foi outro assunto que ganhou destaque, desta vez na abordagem do dr. Ricardo Cruz. Os números são alarmantes: o Brasil é um dos países líderes de acidentes de trânsito por veículo automobilístico e o número de pacientes vítimas de trauma causado por motos também cresce. Entre os principais motivos, o abuso de bebida alcoólica desponta como campeão. Como a principal faixa-etária atingida é formada por adolescentes, jovens e adultos, o especialista propôs uma abordagem preventiva através da doutrinação:

“A primeira forma de conscientização vem através do aconselhamento dos pais. Depois, o incentivo se dá na melhora na tecnologia para prevenção de acidentes nos carros e também com a propaganda na mídia. Se nada disso surtir efeito, será necessário reprimir através da lei, com as multas e medidas mais sérias”, explica o dr. Ricardo.

Capitã Andreia Scudeiro, capitão Marcelo Pacheco e capitão Rodrigo Pires, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), ao lado do dr. Paulo Silveira

Além de uma mesa especial que tratou sobre os cuidados especiais com os idosos, a jornada também abordou dois temas de grande relevância: o atendimento e resgate de vítimas em áreas de desastre e de conflito urbano, duas realidades presentes atualmente no Brasil. Para ilustrar o primeiro cenário, o Tenente Ricardo Alves, do Grupamento de Emergência Ambiental e Respostas a Desastres de Minas Gerais, explicou como foi realizada a operação na barragem de Brumadinho (MG), desde a montagem das bases e estabelecimento de funções até o momento atual, em que máquinas ainda vasculham os mais de 10 km de área encoberta.

Já o dr. Leandro Castro, integrante da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil do Rio de Janeiro, mostrou a realidade que dificulta o pronto atendimento aos pacientes traumatizados em áreas de violência urbana, como favelas e comunidades. Confira na nossa galeria de fotos alguns dos melhores momentos da 10ª Jornada Internacional de Trauma do Hospital São Lucas Copacabana: