Logo

Cardiologia

4 minutos de leitura

Angioplastia: o que é, quais são os tipos, para que é indicada e como se dá a recuperação

FV
Dra. Flávia Verocai - Médica - MédicaAtualizado em 11/01/2024
Angioplastia: o que é, quais são os tipos, para que é indicada e como se dá a recuperação

Procedimentos como a angioplastia são grandes exemplos de como as inovações tecnológicas contribuem para o aperfeiçoamento das técnicas médicas e medidas terapêuticas para o tratamento de diversas enfermidades, como as doenças cardíacas. A Dra. Flávia Verocai, coordenadora da Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana, explica como é feita a angioplastia e quando ela é indicada.

O que é angioplastia coronária?

A angioplastia coronária, também chamada de intervenção coronária percutânea, é um procedimento invasivo que visa estabilizar o fluxo sanguíneo do músculo cardíaco quando há entupimento de artérias. “Para isso, introduzimos um cateter pela perna ou braço e o direcionamos até o coração. Ainda que seja um método relativamente rápido (tem duração de 30 minutos a duas horas), internamos o paciente para prepará-lo", completa a médica.

Qual é a diferença entre angioplastia e cateterismo?

O cateterismo diagnostica artérias coronárias entupidas; analisa possíveis más-formações em crianças e recém-nascidos; verifica a existência de anomalias estruturais no coração; realiza biópsia endomiocárdica e mensura as pressões das câmaras direita e/ou esquerda. “O cateterismo cardíaco examina o interior do órgão e dos vasos sanguíneos que o irrigam, ou seja, tem função diagnóstica. Já a angioplastia coronária é uma abordagem terapêutica, um tratamento para alterações detectadas", explica a Dra. Flávia.

Tipos de angioplastia

O profissional qualificado para realizar a angioplastia é o cardiologista hemodinamicista, e ele pode escolher entre dois tipos: angioplastia com stent ou com balão. Ambos são feitos com o uso da técnica do cateterismo.

Angioplastia com balão

Na angioplastia com balão, o objetivo é desobstruir as artérias prejudicadas e aumentar a irrigação sanguínea, por meio de um cateter balão, que rompe as placas obstrutivas de modo a facilitar a passagem do sangue.

Angioplastia com stent

A angioplastia com stent é uma indicação de rotina para quadros de doença coronariana. “O objetivo é restaurar o fluxo sanguíneo, por meio da introdução de uma malha de metal (chamada stent) no interior da artéria obstruída. Atualmente, os stents são revestidos por medicamentos com ação anti-inflamatória e imunossupressora, que têm a finalidade de evitar nova obstrução do vaso em questão. Por isso, cada caso tem sua particularidade, e a escolha do stent (farmacológico ou convencional) vai depender de diversos fatores relacionados com o quadro clínico do paciente", detalha a especialista.

Quando a angioplastia é indicada?

Ainda de acordo com a Dra. Flávia, a angioplastia é indicada para pacientes com doença coronariana obstrutiva e sintomáticos (angina), seja nas ocorrências de infarto agudo, seja nos casos de angina instável.

Quais são os riscos da angioplastia?

A complicação mais grave decorrente da angioplastia coronária é a oclusão aguda do vaso abordado (dor intensa, sensação de frio, formigamento, palidez e ausência de pulso no membro comprometido), que ocorre em até 5% dos casos. Porém, já dispomos de medicações que minimizam essa ameaça.

“Outros riscos são: hematoma ou sangramento no local da punção; reação alérgica ao meio de contraste iodado; insuficiência renal e arritmia. A taxa de mortalidade com angioplastia não é alta, gira em torno de 0,5%. Quanto à possibilidade de infarto, o índice fica entre 1% e 2%, que pode exigir cirurgia de emergência", completa a médica.

Recuperação

No fim do procedimento, o paciente permanece em observação por 24 a 48 horas, para evitar possíveis complicações, receber hidratação venosa (soro fisiológico) e ser monitorado por médicos e equipe de enfermagem.

As orientações após a alta hospitalar incluem: repouso por dois dias, hidratação intensa e mudanças na alimentação. Além disso, abandonar o tabaco e tomar os medicamentos indicados pelo médico também é importante para a recuperação.

Cardiologia no São Lucas Copacabana: atendimento com conforto e segurança no coração do Rio de Janeiro

A cardiologia é um dos principais focos de atuação do Centro Médico São Lucas. O espaço, conduzido por uma equipe multidisciplinar especializada em diversas áreas cardiovasculares, une conforto, tecnologia e segurança para oferecer ao paciente uma experiência médica de excelência em quadros de baixa e alta complexidade.

  • Acompanhamento para pacientes cardiopatas
  • Doença coronariana
  • Insuficiência cardíaca
  • Prevenção cardiovascular
  • Risco cirúrgico
  • Acompanhamento cardioncológico
  • Cardiopatia estrutural
  • Doenças orovalvares
  • Avaliação para transplante cardíaco
  • Avaliação de miocardiopatias
  • Arritmia e eletrofisiologia
  • Avaliação de fisioterapia
  • Avaliação para anestesia
  • Avaliação para procedimentos de hemodinâmica
  • Avaliação para cirurgia cardíaca
  • Cirurgia vascular
  • Exames especializados
  • Ecocardiograma transtorácico
  • Teste cardiopulmonar e ergométrico
  • Eletrocardiograma (incluído na consulta)
  • Holter digital
  • MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial)
  • Ultrassom vascular (arterial e venoso)

Além do acompanhamento especializado com equipe multidisciplinar, incluindo nutricionistas e psicólogos, também há a possibilidade de interação entre cardiologistas, oncologistas e cirurgiões para avaliação de pacientes e casos específicos.

Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana

No hospital, a Unidade Cardiointensiva é especializada no acolhimento de pacientes com problemas cardiológicos que precisem de observação intensiva, portadores de síndrome coronária aguda ou recém-operados de cirurgia cardíaca e vascular. Aqui o paciente de alta complexidade é amparado pelo que há de melhor em tecnologia para monitorização e realização de exames e procedimentos. Seus 21 leitos são individuais e projetados para oferecer segurança, comodidade e privacidade aos pacientes.

O paciente cardiopata encontra no Hospital São Lucas Copacabana procedimentos diagnósticos e terapêuticos de ponta para casos de baixa e alta complexidade. Para agendar uma consulta, entre em contato com nossa Central de Atendimento pelo número (21) 2545-4000 (opção 2).

Agendar consulta

Escrito por
FV

Dra. Flávia Verocai

Médica | Médica
Coordenadora da Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana

Artigos Relacionados

Cateterismo cardíaco: o que é, quando realizar o exame e como é feito?

Cardiologia

4 min

Cateterismo cardíaco: o que é, quando realizar o exame e como é feito?

​É bastante provável que você já tenha ouvido a palavra cateterismo em algum momento, mas você sabe o que é isso? Entenda.
Ergoespirometria: o que é e como é feito o teste cardiopulmonar de exercício?

Cardiologia

5 min

Ergoespirometria: o que é e como é feito o teste cardiopulmonar de exercício?

Exame realizado em esteira ou bicicleta ergométrica avalia possíveis alterações cardíacas
Dor no tórax: o que é, causas, como identificá-la e tratá-la?

Cardiologia

4 min

Dor no tórax: o que é, causas, como identificá-la e tratá-la?

O que é aneurisma de aorta e por que ele é tão perigoso?

Cardiologia

2 min

O que é aneurisma de aorta e por que ele é tão perigoso?

Ver mais artigos
Escrito por
FV

Dra. Flávia Verocai

Médica | Médica
Coordenadora da Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana