Logo

Cardiologia

5 minutos de leitura

Ergoespirometria: o que é e como é feito o teste cardiopulmonar de exercício?

Exame realizado em esteira ou bicicleta ergométrica avalia possíveis alterações cardíacas
FV
Dra. Flávia Verocai - Médica - MédicaAtualizado em 12/01/2024
Ergoespirometria: o que é e como é feito o teste cardiopulmonar de exercício?

Você sabia que é possível acompanhar a saúde cardiovascular por meio de testes físicos? Além dos exames tradicionais, como o eletrocardiograma, por exemplo, a ergoespirometria é um método que avalia as funções cardíacas com base em uma avaliação de esforço físico. A seguir, a Dra. Flávia Verocai, cardiologista do Hospital São Lucas Copacabana, fala sobre as principais características do teste, incluindo como é feito e quando é indicado.

O que é ergoespirometria?

Também chamado de teste cardiopulmonar, o teste de ergoespirometria é um exame de esforço que analisa parâmetros respiratórios, como consumo de oxigênio, produção de gás carbônico, ventilação pulmonar e circulação e respiração em nível mitocondrial (que ocorre no interior das células). Para isso, a pessoa é submetida a um esforço físico – que pode ser feito em uma esteira rolante ou bicicleta ergométrica – até que ela atinja a exaustão.

Para que serve o teste de ergoespirometria?

A ergoespirometria ajuda na detecção da origem da dispneia em pacientes que sofrem de falta de ar. O teste também serve para a análise funcional de doenças cardíacas e pulmonares, além da avaliação seriada no pré e pós-transplante cardíaco; da quantificação de risco em pacientes com miocardiopatias e arritmias; no pré-operatório de cirurgia torácica e no diagnóstico diferencial da dispneia, popularmente conhecida como falta de ar.

“Esse exame também tem aplicações para programação de reabilitação de pacientes com insuficiência cardíaca e no auxílio do treinamento de atletas", explica a médica.

Ainda de acordo com a Dra. Flávia, o teste de ergoespirometria proporciona uma visão mais ampla sobre a saúde do paciente. As informações coletadas durante o procedimento permitem uma avaliação que vai muito além do condicionamento daqueles que desejam iniciar uma atividade física. Além de identificar doenças cardiovasculares que possam limitar o desempenho, esse exame também é indicado para:

  • assistência pré e pós-operatória de ressecção pulmonar ou de grandes intervenções em pacientes com obesidade;
  • avalia a gravidade e o prognóstico (possibilidade de cura) da insuficiência cardíaca na seleção de pacientes elegíveis para transplantes;
  • acompanhamento de pacientes com cardiomiopatias, hipertensão pulmonar ou ressincronização cardíaca;
  • suporte ao tratamento de pacientes oncológicos;
  • avaliação de pacientes após o desenvolvimento da Covid-19.

Qual a diferença entre espirometria e ergoespirometria?

A diferença do teste cardiopulmonar para a espirometria, conhecida como prova de função pulmonar ou exame de sopro, é que essa última tem o objetivo único de medir a quantidade e qualidade do fluxo de ar que entra e sai dos pulmões e é realizada em repouso. O paciente enche os pulmões por completo e assopra com o máximo de força e rapidez durante ao menos seis segundos até que os pulmões esvaziem.

Como é feito o teste cardiopulmonar de exercício?

O teste é realizado na esteira ergométrica ou na bicicleta estacionária. O paciente é monitorado por toda a duração do exame, por meio de eletrodos semelhantes aos utilizados no eletrocardiograma. O tempo de exercícios varia de acordo com as necessidades específicas do paciente, podendo durar entre 8 e 12 minutos.

“Além disso, usamos o oxímetro de pulso e um equipamento que acompanha a pressão arterial. Uma máscara facial (ou sistema bucal) analisa a capacidade pulmonar e a qualidade da respiração", detalha a Dra. Flávia.

Preparação para o exame

No dia do teste cardiopulmonar, após o banho, a pessoa deve suspender o uso de pomadas e cosméticos, como hidratantes e loções em geral. Confira outras recomendações:

  • usar tênis e roupas confortáveis;
  • suspender o cigarro duas horas antes e uma hora após o fim do exame;
  • não fazer jejum; caso se alimente com duas horas de antecedência, pode seguir a dieta normal. Com uma hora, priorize uma refeição leve;
  • não expor o tórax ao sol por 72 horas para evitar possíveis irritações na pele;
  • para aqueles que fazem uso de alguma medicação, a depender do objetivo do exame, pode ser que o médico solicite a suspensão do remédio para que ele não interfira no resultado do teste.

Contraindicações

Visto que o paciente precisa chegar à exaustão para a realização do teste, esse método não é recomendado para gestantes e pessoas com:

  • insuficiência cardíaca aguda;
  • pericardites ou miocardites;
  • estenose aórtica grave sintomática;
  • hipertensão não controlada;
  • angina estável;
  • peso corporal acima de 160 quilos;
  • condições ortopédicas ou deficiência física.

“É importante ressaltar que pessoas com mobilidade reduzida podem realizar um exercício de membros superiores como alternativa ao teste ergoespirométrico em esteira e bicicleta", complementa a Dra. Flavia.

Onde fazer o exame?

Poucas instituições oferecem a ergoespirometria, pois é necessário possuir um espaço bem equipado e equipe preparada para o acompanhamento e a avaliação do paciente. Você pode encontrá-lo em clínicas como o Centro Médico São Lucas, na Gávea.

Cardiologia no São Lucas Copacabana: atendimento com conforto e segurança no coração do Rio de Janeiro

A cardiologia é um dos principais focos de atuação do Centro Médico São Lucas. O espaço, conduzido por uma equipe multidisciplinar especializada em diversas áreas cardiovasculares, une conforto, tecnologia e segurança para oferecer ao paciente uma experiência médica de excelência em quadros de baixa e alta complexidade.

Acompanhamento para pacientes cardiopatas

  • Doença coronariana
  • Insuficiência cardíaca
  • Prevenção cardiovascular
  • Risco cirúrgico
  • Acompanhamento cardio-oncológico
  • Cardiopatia estrutural
  • Doenças orovalvares
  • Avaliação para transplante cardíaco
  • Avaliação de miocardiopatias
  • Arritmia e eletrofisiologia
  • Avaliação de fisioterapia
  • Avaliação de anestesiologista
  • Avaliação para procedimentos de hemodinâmica
  • Avaliação para cirurgia cardíaca
  • Cirurgia vascular

Exames especializados

  • Ecocardiograma transtorácico
  • Teste cardiopulmonar e ergométrico
  • Eletrocardiograma (incluído na consulta)
  • Holter digital
  • MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial)
  • Ultrassom vascular (arterial e venoso)

Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana

No hospital, a Unidade Cardiointensiva é especializada no acolhimento de pacientes com problemas cardiológicos que precisem de observação intensiva, portadores de síndrome coronária aguda ou recém-operados de cirurgia cardíaca e vascular. Aqui, o paciente de alta complexidade é amparado pelo que há de melhor em tecnologia para monitorização e realização de exames e procedimentos. Seus 21 leitos são individuais e projetados para oferecer segurança, comodidade e privacidade aos pacientes.

O paciente cardiopata encontra, no Hospital São Lucas Copacabana, procedimentos diagnósticos e terapêuticos de ponta para casos de baixa e alta complexidade.

Agendar Consulta

Escrito por
FV

Dra. Flávia Verocai

Médica | Médica
Coordenadora da Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana

Artigos Relacionados

Angioplastia: o que é, quais são os tipos, para que é indicada e como se dá a recuperação

Cardiologia

4 min

Angioplastia: o que é, quais são os tipos, para que é indicada e como se dá a recuperação

Cateterismo cardíaco: o que é, quando realizar o exame e como é feito?

Cardiologia

4 min

Cateterismo cardíaco: o que é, quando realizar o exame e como é feito?

​É bastante provável que você já tenha ouvido a palavra cateterismo em algum momento, mas você sabe o que é isso? Entenda.
Dor no tórax: o que é, causas, como identificá-la e tratá-la?

Cardiologia

4 min

Dor no tórax: o que é, causas, como identificá-la e tratá-la?

O que é aneurisma de aorta e por que ele é tão perigoso?

Cardiologia

2 min

O que é aneurisma de aorta e por que ele é tão perigoso?

Ver mais artigos
Escrito por
FV

Dra. Flávia Verocai

Médica | Médica
Coordenadora da Unidade Cardiointensiva do Hospital São Lucas Copacabana