Logo

Cirurgia Geral

4 minutos de leitura

Cirurgia abdominal: quando é indicada e como funciona a preparação

Avaliação criteriosa antes do procedimento proporciona mais segurança ao paciente
NF
Dra. Nathália Fagundes - cirurgiã plástica - médicaAtualizado em 12/01/2024
Cirurgia abdominal: quando é indicada e como funciona a preparação

A cirurgia abdominal é uma opção para pacientes que desejam modelar o corpo de forma segura, saudável e com riscos baixos. Entretanto, ainda hoje, algumas pessoas acreditam que a intervenção é indicada para emagrecimento e chegam ao consultório com imagens retiradas da internet, geralmente, com retoques e filtros. Nesse artigo, a Dra. Nathália Fagundes, cirurgiã plástica do Hospital São Lucas Copacabana, explica para que serve cada tipo de cirurgia abdominal.

Quais são os tipos de cirurgia abdominal?

Um dos tipos de cirurgia abdominal é a dermolipectomia abdominal, que consiste em retirar o excesso de pele e aproximar os músculos do abdome, que podem ser separados após a gravidez ou perda de peso (processo chamado de diástase). A dermolipectomia é realizada por cirurgião plástico, enquanto os procedimentos ginecológicos como remoção do útero, por exemplo, são feitos pelo ginecologista. A cirurgia abdominal também contempla procedimentos estéticos como:

  • Abdominoplastia: tira os excessos de pele e gordura com o objetivo de proporcionar mais firmeza à região abdominal. O procedimento dura aproximadamente três horas;
  • Lipoaspiração: em cerca de duas horas, remove a gordura localizada e redefine o contorno do corpo;
  • Mini abdominoplastia: retira o excesso de pele na região abaixo do umbigo, tem cicatriz reduzida em relação à abdominoplastia clássica;
  • Lipoescultura: remove a gordura localizada e a utiliza para enxertos no glúteo ou coxas, por exemplo.

Quando são indicadas?

As cirurgias abdominais são indicadas para pessoas que estão insatisfeitas com a aparência física devido a questões como:

  • Abdome em avental (saliente);
  • Concentração de gordura no abdome;
  • Flacidez;
  • Músculos abdominais enfraquecidos ou separados (diástase).

“É bastante comum que pacientes pós-bariátrica recorram à abdominoplastia em razão do excesso de pele pós-emagrecimento. Cabe destacar que sempre vale a pena conversar com seu cirurgião sobre o melhor momento para realizar a intervenção e avaliar possíveis riscos, mesmo que mínimos", ressalta a Dra. Nathália.

Qual especialista devo procurar?

O profissional habilitado a realizar procedimentos de correção estética é o cirurgião plástico.

Existe alguma contraindicação para a cirurgia abdominal?

É importante ter em mente que cada corpo e organismo é único e que os resultados da cirurgia abdominal variam de acordo com a estrutura (muscular, óssea, altura e peso, por exemplo) de cada paciente. Segundo a Dra. Nathália, esses fatores também determinam a contraindicação da cirurgia abdominal em casos de:

  • IMC superior a 28;
  • Múltiplas cicatrizes no abdome decorrente de cirurgias prévias;
  • Anemia (bastante comum após cirurgia bariátrica);
  • Pacientes com problemas de coagulação desconhecidos.

Como é feita a preparação para a cirurgia?

Quanto à preparação, a cirurgiã plástica recomenda: “em primeiro lugar, o paciente deve estar com peso adequado em relação à sua altura (IMC). Além disso, solicitamos análises pré-operatórias, tais como exames de sangue, raio-X de tórax, eletrocardiograma, exames de imagem do abdome (verifica se há presença de hérnias abdominais ou diástase) e avaliação de risco cirúrgico com cardiologista. Também é importante que a pessoa tire todas as suas dúvidas com o cirurgião plástico, esteja ciente de como será o pós-operatório e esteja disposto a seguir as recomendações para o período de recuperação", detalha.

Como é a recuperação após a cirurgia?

Dentre as cirurgias plásticas mencionadas nesse artigo, o tempo de recuperação pode variar de 10 a 30 dias, em média.

“No caso de dermolipectomia abdominal, sugiro 30 dias sem esforço físico. Já a lipoaspiração costuma ser mais rápida, com retorno às atividades físicas em torno de dez dias. A drenagem linfática pode ser recomendada para complementar o resultado do procedimento cirúrgico. Por fim, o uso de cinta modeladora durante dois meses é complementar ao procedimento cirúrgico", explica a Dra. Nathália.

A especialista ainda recomenda, em caso de dermolipectomia e lipoaspiração, medidas anti-trombose: uso de medicamento anticoagulantes, meias elásticas e compressor pneumático em membros inferiores.

Centro Médico São Lucas: assistência com qualidade e segurança Para oferecer aos pacientes uma linha de cuidado integrada, que engloba todas as etapas da assistência médica com qualidade e segurança, o Hospital São Lucas Copacabana criou um centro médico próprio, localizado no Shopping da Gávea, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. O espaço, que atende mais de 20 especialidades, é uma unidade-satélite avançada do hospital que oferece assistência em caráter preventivo e o diagnóstico de patologias, incluindo as pulmonares.

O acompanhamento clínico e pós-cirúrgico é feito por uma equipe multidisciplinar altamente qualificada composta por médicos, psicólogos, nutricionistas e outros profissionais de saúde que formam a linha do cuidado integrado e contribuem diretamente para o sucesso do tratamento do paciente. O espaço está localizado no Centro Médico (quinto andar) do Shopping da Gávea, zona sul da cidade do Rio de Janeiro. Para marcar uma consulta, consulte nossos canais de atendimento.

Agendar Consulta

Escrito por
NF

Dra. Nathália Fagundes

cirurgiã plástica | médica

Artigos Relacionados

Gastrectomia: o que é a cirurgia, tipos existentes e pós-operatório

Cirurgia Geral

3 min

Gastrectomia: o que é a cirurgia, tipos existentes e pós-operatório

Entenda o que são e como acontecem as hérnias abdominais

Cirurgia Geral

2 min

Entenda o que são e como acontecem as hérnias abdominais

A doença tem diversos tipos e deve ser tratada com abordagem cirúrgica
Ver mais artigos
Escrito por
NF

Dra. Nathália Fagundes

cirurgiã plástica | médica